Buscar
  • Extensão em rede: tecer o comum

Conheça nossos projetos!

Campus Sosígenes Costa

PORTO SEGURO


Oríkì: a pandemia e a cosmovisão dos povos tradicionais de terreiro

Centro de Formação em Artes

Coordenadora: Pamela Peregrino da Cruz

Área do CNPq: Lingüística, Letras e Artes

Área Principal: Cultura e Arte


"Oríkì: a pandemia e a cosmovisão dos povos tradicionais de terreiro" visa utilizar a linguagem do cinema de animação 2D (desenho animado) para produzir conteúdo audiovisual que apresente ao público a cosmovisão dos Povos Tradicionais de Candomblé no combate a pandemia de COVID-19 e ainda compartilhar a experiência e metodologias de criação de um filme de animação de modo totalmente on-line. Desse modo, a realização do projeto contribui, nesse contexto sanitário gravíssimo, de quatro formas pelo menos: (1) produzindo e oferecendo ao público universitário e comunidade em geral conteúdo audiovisual - para acesso remoto/on-line - que fortalece indivíduos para resistirem ao afastamento social, acalentando e animando processos subjetivos de autocuidado; (2) valorizando e fortalecendo a cosmovisão de povos tradicionais afrobrasileiros (que tendem a sofrer um agravamento da vulnerabilidade social e discriminação cultural a que são constantemente submetidos); (3) possibilitando que a equipe de estudantes, voluntários e professoras do projeto (12 pessoas) mantenha seu vínculo afetivo, os estudos, os aprendizados e a produção ao realizar uma obra de arte de modo totalmente on-line; (4) oferecendo a outros coletivos audiovisuais e estudantis um material com experiências sobre produzir um curta de animação de modo remoto. O projeto "Oríkì" nasce da readequação do projeto de extensão "ÌTÀN: Contando Histórias de Orixás com Cinema de Animação" (PJ082-2019), no qual já realizamos formação em diversas técnicas de animação e linguagem audiovisual. A proposta agora é migrar a produção do filme Stop Motion (animação de bonecos) sobre o Òrìsà Òsányìn (Òrìsà que guarda os segredos e mistérios das folhas e ervas) - que vínhamos realizando e interrompemos por conta da pandemia - para uma animação em 2D tradicional sobre as forças que se mobilizam em um momento como esse, de acordo com a cosmovisão dos povos tradicionais afrobrasileiros: Iku (a morte); Omolu (pai das chagas e da cura), Yansã; Obatalá; Òsányìn; Íròkò (Tempo).



REDE N’ATIVA: uma plataforma de diálogo, participação e cooperação

CBIH-SC

Coordenadora: Valeria Giannella - valeriagiannella@gmail.com

Área do CNPq: Ciências Sociais Aplicadas.

Área Principal: Diretos Humanos e Justiça


Diante do avanço da pandemia causada pela Covid-19, no Brasil e no mundo, esse projeto acolhe o convite do Edital Prosis 07/2020, de promover a cooperação, a solidariedade e as intervenções de relevância social no enfrentamento à epidemia e na mitigação de problemas decorrentes da mesma. Nessa empreitada, que muito nos desafia e nos move, não podemos deixar de atentar para o desiderato de que todo o investimento realizado nesse momento emergencial, possa ser aproveitado e redirecionado, em momentos seguintes, para o fortalecimento do tecido social e das capacidades dos atores do território. A nossa proposta objetiva agir em escala local para aumentar a eficácia das ações empreendidas por uma multiplicidade de atores (organizações do poder público, da iniciativa privada e de toda a sociedade civil, organizada em coletivos, ou individualmente), todos mobilizados pelo sentimento de solidariedade que, mesmo numa sociedade marcadamente neoliberal, se manifesta intensamente em tempos de crise humanitária. A universidade pública, cumprindo com sua função social, além de democratizar conhecimentos, pode atuar de forma mais pragmática em momentos específicos. Movidos por essa intenção, nossa proposta é dar seguimento a estratégias e práticas de gestão social vislumbradas pelo projeto em curso de implementação (Formação Livre em gestão social e metodologias integrativas para atores sociais do município de Porto Seguro - BA - PJ078-2019), reafirmando o compromisso da UFSB com a capacitação dos atores sociais do território, mas com o diferencial de também atender especificamente a uma demanda imposta pela situação emergencial de propagação do vírus na região da Costa do Descobrimento. Operacionalmente, a proposta consiste na idealização e implementação de uma plataforma virtual que possa a) mapear as ações em curso de realização no território (especificando tipo de realizador, localização, fontes de financiamento etc.); b) oferecer um ponto de encontro entre demandas e ofertas de apoio, especificamente orientada para entidades organizadas (ONGs, Empresas, organismos públicos).


Assessoria jurídica online e gratuita em tempos de pandemia COVID-19

CFCHS

Coordenadora: Cristina Groberio Pazo - cristinagpazo@gmail.com

Área do CNPq: Ciências Sociais Aplicadas.

Área Principal: Diretos Humanos e Justiça


O presente projeto de extensão tem por objetivo criar e manter um canal de assessoria e orientação jurídica gratuita e online com a finalidade de atender a comunidade vulnerável do Extremo Sul da Bahia. Deste modo, considerando a necessidade de ações relativas ao Núcleo de Prática Jurídicas da UFSB e as lacunas existentes em aplicativos direcionados para a área jurídica, com base nos dispositivos legais, tem como desenvolver uma aplicação multiplataforma para a prestação de atendimentos online, para a população vulnerável de Porto Seguro. Como justificativa, o presente projeto de extensão pretende auxiliar a comunidade do Extremo Sul da Bahia a ter um mecanismo de acesso à justiça sobre seus direitos básicos violados em tempos de COVID-19. Temos conhecimento que muitas pessoas não estão conseguindo cumprir seus contratos de locação e demais contratos e necessitam de assessoria jurídica para resilir ou resolver esses contratos, pretendemos através desse projeto fornecer cabedal jurídico para que a população porto segurense possa questionar cláusulas abusivas em contratos de consumos, em contratos civis, em contratos trabalhistas ou em contratos empresariais, além dos benefícios para a sociedade pretendemos que a comunidade discente tenha a oportunidade de aprender sobre diversos conflitos jurídicos que envolvem de forma interdisciplinar várias áreas do conhecimento, tais como: Civil, Constitucional, Comercial, Trabalhista, Consumeristas entre outras. Através das pedagogias ativas nossos discentes farão tutorias dos discentes do primeiro ano no curso nos atendimentos do Núcleo de Práticas Jurídicas visando uma integração entre toda comunidade acadêmica do curso de direito no atendimento a comunidade interna e externa da UFSB.



LEMMAC 3D pela vida

Iahc

Coordenador: Bilzã Marques de Araújo - bilza@ufsb.edu.br

Área do CNPq: Ciências Exatas e da Terra.

Área Principal: Tecnologia e Produção


Os últimos meses têm sido de dificuldades crescentes no Brasil e no mundo. Segundo a OMS e Ministério da Saúde, até 25 de abril de 2020, o número de casos de Covid-19 no Brasil supera 66.501 casos (4.543 mortes); mais de 3 milhões de casos (212.221 mortes) no mundo. Com a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2 ou 2019-nCoV), nos deparamos não apenas com uma crise na saúde, mas uma crise sistêmica, implicando infraestrutura sanitária, interações sociais, trabalho, economia, diplomacia, políticas públicas, educação etc. A crise política, o sistema econômico e as limitações de capacidade produtiva da indústria ante a crescente demanda, nos colocam em um cenário de desabastecimento de itens essenciais no combate a COVID-19, como ventiladores mecânicos e equipamentos de proteção individual. No entanto, nesse mesmo tempo, soluções solidárias, concebidas em novos contextos de produção de conhecimento, tem nos convidado a mobilizar os poucos recursos que dispomos nessa força tarefa. O Laboratório de Educação Matemática e Modelagem Computacional da UFSB, não poderia se isentar a essa responsabilidade, e propõe, por meio deste projeto, apoiar o sistema de saúde público e sociedade civil organizada em ações de combate ao COVID-19, com a produção de equipamentos de proteção individual e componentes de equipamentos, e com o desenvolvimento de protótipos de equipamentos de suporte à vida, por meio da impressão 3D e outros equipamentos de capacidade produtiva que dispõe, lançando-se como um makerspace. São previstos a produção de face shields e protótipos de ambuzador autônomo para doação ao sistema de saúde público da região de Porto Seguro; integração social; e educação não formal de colaboradores no projeto e gestão de impressão de objetos 3D digitais, na elaboração de esquemas e scripts, na gestão do projeto e produção.



ESCUTA AUDIOLIVRES: literatura, corpo e acessibilidade

Coordenadora: Aline Nunes de Oliveira - alinenunes@ufsb.edu.br

Área do CNPq: Lingüística, Letras e Artes

Área Principal: Cultura e Arte


"ESCUTA AUDIOLIVRES: literatura, corpo e acessibilidade" é uma proposta que quer atender uma demanda carente de ações culturais/artísticas: as pessoas com deficiência. Nosso projeto tem foco nas pessoas com deficiência visual (cegueira e baixa visão), contudo, o caráter democrático e inclusivo da literatura em mídias sonoras – o audiolivro – pode gerar interesse a um público muito maior. Desde as pessoas que não têm acesso a livros; aquelas com deficit de aprendizagem (como a dislexia); pessoas de todos os gêneros, idades e classes sociais; não-alfabetizadas; além de ter um forte apelo no mundo contemporâneo entre os membros da chamada "geração podcast". Este é um projeto que aproxima a literatura, via corpo (expressão vocal e escuta) produzida por autoras/autores talentosas/os, muitas vezes, pouco conhecidas/os do público em geral. Vislumbramos aqui potencial para difundir obras com direitos autorais liberados, de maneira democrática, gratuita e acessível, via internet, por qualquer falante de língua portuguesa, em qualquer lugar do planeta. Além da publicação dos audiolivros, o projeto prevê transmissões ao vivo (lives) no YouTube com as/os autoras/es, ou sobre a autora (no caso da importante feminista Maria Lacerda de Moura falecida há 75 anos e sem novas publicações há 40 anos). Estas lives terão a participação, além das/dos autoras/es, também da equipe técnica (narradoras/es, editores, produtores), além de contar com os comentários de nossas/nossos estudantes deficientes visuais, que popderão compartilhar com o público suas impressões acerca de cada um dos livros narrados. Tudo isso, sem que ninguém saia de casa. Nem nós da equipe do projeto, tampouco, nossa audiência.


Campus Paulo Freire

TEIXEIRA DE FREITAS


Atendimento psicológico mediado por Tecnologia da Informação e da Comunicação durante a pandemia do COVID-19

CFS

Coordenadora: Gabriela Andrade da Silva - gabriela.silva@ufsb.edu.br

Área do CNPq: Ciências Humanas

Área Principal: Saúde


Diante da pandemia da Doença causada pelo Coronavírus em 2019 – COVID-19, são esperados impactos para a saúde mental de profissionais de saúde e população geral, demandando atendimento psicológico, muitas vezes em situações de emergência. O Plantão Psicológico é um serviço de Psicologia originado no Brasil, que lida diretamente com as situações de crises, com formato viável para ser adotado em situações de emergências e desastres. Trata-se de um modo de acolher e responder a demandas em um espaço e tempo definidos, buscando os recursos do próprio usuário e da rede. Diversas experiências de Plantão Psicológico têm sido relatadas, sempre em formato presencial. No Brasil, o atendimento psicológico emergencial mediado por Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) era vedado pelo Conselho Federal de Psicologia até março de 2020, quando essa vedação foi suspensa por conta da pandemia. Assim, o presente estudo objetiva oferecer atendimentos psicológicos emergenciais, pontuais e mediados por Tecnologia da Informação e da Comunicação, à comunidade interna e externa da UFSB durante a pandemia do COVID-19, bem como capacitar psicólogos para essa atividade, preferencialmente aqueles que atuam nas redes de atenção à saúde dos municípios onde a UFSB tem sede ou colégios universitários.


Especial corona vírus - Dúvidas, dicas e informações: o Podcast do Grupo Ecoem

Coordenador: Gilson Vieira Monteiro - gilsonmonteiro@ufsb.edu.br

Área do CNPq: Ciências Sociais Aplicadas

Área Principal: Comunicação


O projeto “Especial Coronavírus - Dúvidas, dicas e informações: o Podcast do Grupo Ecoem” é um Projeto de Extensão Inovadora do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ecossistemas Comunicacionais e as Tecnologias da Inteligência (ECOEM), que se encaixa no Edital Prosis 07/2020 (Chamada Interna de Apoio a Atividades de Extensão para o enfrentamento da emergência de Saúde Pública de importância internacional decorrente do Coronavírus COVID – 19). Fundamenta-se em dois projetos em execução: o Produto de Extensão (PD001-2019) “Universidade e Você”, quadro todas as quintas-feiras, das 12h40 às 13h, em o Grande Jornal, da Rádio Sucesso FM, 104.9 e o Projeto de Pesquisa “As Mídias Digitais como plataformas ecossistêmicas de comunicação” (PIP490-2019), em execução com apoio de bolsa da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PROPG) da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Terá como base teórica os pressupostos da “epistemologia ecossistêmica, que estuda as interconexões e o espalhamento das mensagens por meio das Mídias Digitais com o uso de plataformas ecossistêmicas de comunicação (receptoras e distribuidoras - são as duas coisas ao mesmo tempo) tais como WhatsApp, Twitter, Facebook, Instagram e similares”, objetos de pesquisa do ECOEM. Far-se-á a transformação de Programas Especiais sobre o Coronavírus, vinculados na Rádio Sucesso FM, todas as quintas-feiras, para PodCasts e áudios para o aplicativo WhatsApp a fim de chegar, inclusive, às pessoas que não possuam Letramento para a escrita e a leitura. O projeto trabalhará com a difusão e recepção de mensagens por intermédio de um meio convencional, o Rádio e suas interconexões com as Mídias Digitais para se formar um ecossistema comunicacional virtuoso com informações sobre o Coronavírus e a COVID-19.



Ações Interprofissionais no combate a Covid 19 na atenção primária em Teixeira de Freitas: o idoso em foco

Coordenadora: Ana Paulo Pessoa de Oliveira - enf.pessoa@hotmail.com

Área do CNPq: Ciências da Saúde

Área Principal: Saúde


A doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) constitui uma Emergência de Saúde Pública de Importância mundial. A ausência de medicamentos antivirais eficazes contra o coronavírus, sem vacinação, deixou toda a população em situação de grande exposição, vulnerabilidade e risco, principalmente a população idosa. O objetivo deste projeto é o de desenvolver ações interprofissionais no combate a COVID 19 na população idosa na cidade de Teixeira de Freitas, Bahia. Trata-se de uma ação de extensão que será realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e em articulação com o Pet Saúde Interprofissionalidade desenvolvido pelo Centro de Formação em Saúde da Universidade Federal do Sul da Bahia. Será desenvolvido nos territórios das Estratégias Saúde da Família Nova América e Caminho do Mar situadas na zona leste da cidade, por meio de estratégias educacionais, com base nos conceitos teóricos metodológicos da Educação e do Trabalho Interprofissional, dos pressupostos da Políticas Nacional de Educação Popular em Saúde e da Política Nacional de Saúde da Pessoa idosa. Docentes, estudantes e profissionais de saúde construirão e propagarão, juntos, tecnologias cuidativo-educacionais direcionadas para as especificidades e peculiaridades da população idosa e de seu contexto territorial, no período de maio a dezembro de 2020. O distanciamento social será respeitado pela equipe do projeto, o processo de planejamento e implementação das ações será realizado por meio das tecnologias digitais. Almeja-se fomentar o autocuidado de pessoas idosas e seus familiares no combate a COVID 19 por meio das práticas colaborativas.


Redução da taxa de infecção pelo COVID-19 e melhoria do manejo da glicemia para pessoas com diabetes

CFS

Coordenadora: Denise Machado Mourão - dmmourao@gmail.com

Área do CNPq: Ciências da Saúde

Área Principal: Saúde


O atual cenário de pandemia, decorrente do COVID-19, está impactando a saúde e a economia global em uma escala e velocidade nunca vistas, levando autoridades a tomarem diversas medidas de contenção para proteção à saúde. Deste modo, faz-se necessária a realização de práticas de saúde de rápida ação, bem como a divulgação de informações científicas relevantes a toda população. Nesse sentido, além das medidas básicas de prevenção à contaminação pelo COVID-19, tais como o maior rigor na higiene e o distanciamento social, o uso de máscaras caseiras feitas de tecido também tem sido indicado. Entretanto, em decorrência do crescimento exponencial de números de casos e óbitos, em todo país, tem-se percebido que ainda há uma grande desinformação quanto as formas de contágio do COVID-19, por grande parte da população. Outro aspecto relevante, diz respeito aos grupos de risco, onde pessoas com diabetes aparecem em destaque com risco aumentado de complicações e morte. Neste aspecto, o grupo de trabalho do Centro de Referência Diabetes nas Escolas de Teixeira de Freitas propõe produzir e divulgar informações claras e didáticas quanto a prevenção da infecção pelo COVID-19 e redução do risco de morte de pessoas com diabetes. Esse trabalho será realizado por meio da construção de vídeos, animações e infográficos que serão divulgados em meios de comunicação virtual, bem como na distribuição de máscaras de tecido seguras para pessoas com diabetes. Espera-se desta forma contribuir na redução da taxa de infecção pelo COVID-19 na população em geral, bem como na melhoria do manejo da glicemia para pessoas com Diabetes.


Escuta Sensível como Ferramenta de Acolhimento e Saúde Mental no Isolamento Social

Coordemador: Leandro Gaffo - mafagaffos@gmail.com

Área do CNPq: Ciências Humanas

Área Principal: Saúde


A Pandemia do COVID-19 provocada pelo novo coronavírus evidenciou problemas e sofrimentos psíquicos que, em sua maioria, já estavam presentes em nossa sociedade, mas eram sufocados pelo cotidiano e suas pressões. O isolamento Social usado para evitar o rápido contágio da população que gera sobrecarga e colapso nos sistemas de saúde, cria condições para que esses sofrimentos psíquicos eclodam com bastante e se agudizem fortemente e numa situação perigosa, já que as pessoas estão confinadas em suas casas e sem acesso aos sistemas de cuidados desse tipo de adoecimento. O GAMA – Grupo de Apoio Mútuo para Ansiedade - criado na Universidade Federal do Sul da Bahia em 2017, vem trabalhando com essa temática em pesquisas e atividades de extensão que incluem rodas de conversa em grupos abertos sem a obrigatoriedade de apresentação ou de fala. São encontros de escuta sensível em que as pessoas se dispõem a ouvir umas às outras proporcionando apoio mútuo e configurando um espaço qualificado de partilha do sofrimento. Recentemente, iniciamos rodas virtuais de discussão (Lives do Instagram) com boa adesão (mais de 200 pessoas em 4 encontros) durante o período de quarentena. Nesse sentido, a possibilidade de uso dessa metodologia de acolhimento do sofrimento psíquico pode ser amplificada e disseminada em seu alcance por meio das ferramentas de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) a partir de uma formação e treinamento da escuta sensível ou qualificada. Trata-se de metodologia já conhecida e difundida em algumas áreas do conhecimento, notadamente em educação e saúde (BARBIER, 2002) e que vem sendo aplicada em diferentes grupos e circunstâncias. Apoiada na empatia, pressupõe um saber ouvir/ver/sentir o universo afetivo, imaginário e cognitivo do outro para poder compreender a partir de um referencial de dentro suas atitudes, valores, ideias, símbolos e mitos. Para tanto, foi firmada uma parceria com o Núcleo Regional de Saúde do Extremo Sul da Bahia que disponibilizará uma técnica para compor a equipe executora do projeto e fará a divulgação do mesmo entre os profissionais da saúde do território. Estão previstos 08 (oito) encontros virtuais de 4 horas usando a plataforma Webex da Cisco que tratarão de aspectos e vivências dessa formação para a escuta sensível e qualificada. Serão duas turmas com 50 vagas cada e 10 vagas serão reservadas para estudantes e servidores da UFSB, o restante será ofertado a pessoas da comunidade, profissionais de saúde e da educação da região do extremo sul baiano e demais pessoas interessadas em prestar esse tipo de acolhida em todo o país. A divulgação será feita pelas redes sociais do GAMA (conta no Instagram e Facebook já existentes), website (a ser desenvolvido durante o projeto) e pelo Núcleo Regional de Saúde. O orçamento prevê a construção e ampliação de novas mídias de divulgação (redes sociais e sites), bem como materiais de divulgação (banners, textos, flyers, etc.) e materiais de identificação da ação (logo, camisetas, etc.).


Mãos, tesoura e tecido: costurando quilombismos e solidariedades junto aos serviços públicos e às populações vulneráveis no contexto da Covid-19

INSTITUTO DE HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PAULO FREIRE

Coordenador: Silier Andrade Cardoso Borges - silier.andrade@ufsb.edu.br

Área do CNPq: Ciências da Saúde

Área Principal: Saúde


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a partir de março de 2020 a contaminação causada pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) adquiriu o status de pandemia, em função de sua rápida disseminação geográfica, orientando esforços de diferentes sistemas de saúde e instituições de ensino e pesquisa para o controle do cenário epidemiológico. Embora o vírus tenha chegado ao Brasil através de viagens internacionais das elites do país, a transmissão comunitária se inicia através de trabalhadores precarizados - empregadas domésticas, porteiros e entregadores que, em contato com as elites assintomáticas, não abriram mão do contato com os empregados. A despeito das recomendações genéricas distribuídas à população para a prevenção e cuidado à saúde (uso de álcool gel, trabalho em home office), é sabido que parcela expressiva dos grupos sociais não têm acesso regular a direitos constitucionais, como o direito à saúde, à previdência, ao trabalho, à moradia ou à água potável e ao saneamento básico. Disso deriva que as condições de enfrentamento e sobrevivência diante do cenário pandêmico é agudizado em função das desigualdades raciais e sociais que caracterizam o Brasil, fragilizando negros e negras, periféricos, seja em suas relações de trabalho, seja quando assistidos precariamente pelas políticas socioassistenciais em função do desemprego. Mais grave se torna o caso da população em situação de rua, destituída das possibilidades de enfrentamento ao Covid-19 em decorrência de sua múltipla condição de expropriação. Por outro lado, há de se considerar as consequências econômicas da Covid-19 para as famílias de baixa renda, frequentemente chefiadas por mulheres negras nas periferias das grandes cidades. Compreendendo o papel da Universidade pública e gratuita na oferta de respostas sociais que resultem na sua aproximação com as demandas da sociedade, conforme previsto na Política Nacional de Extensão Universitária, o presente projeto apresenta, como objetivo geral, contribuir para a promoção da saúde comunitária e enfrentamento das desigualdades no contexto da pandemia através da distribuição de máscaras de tecido e kits de cuidado à saúde junto às populações vulneráveis, bem como aos profissionais dos serviços públicos de saúde que lidam diretamente com essa população. São ainda objetivos específicos: ampliar o acesso das populações vulneráveis às máscaras de tecido, bem como aos kits de higiene e à informação qualificada sobre cuidados básicos à saúde no contexto da pandemia do novo Coronavírus; ampliar o acesso às máscaras de tecido por profissionais de serviços públicos que lidam cotidianamente com populações vulneráveis nos contextos de fragilização dos serviços e sem disponibilidade de acesso universal aos EPI’s; e aproximar a universidade dos serviços de saúde, fortalecendo projetos e programas de extensão junto às populações vulneráveis no município de Teixeira de Freitas/BA. Dessa forma, incluímos como público-alvo as pessoas com grave sofrimento psíquico (transtornos mentais severos e persistentes), as mulheres negras chefes de família ou mães solo em situação de pobreza, a população em situação de rua e pessoas que fazem uso prejudicial de álcool e outras drogas assistidos pelos serviços públicos, bem como profissionais dos serviços de saúde que lidam diretamente com essa população. Dentre os serviços públicos a serem contemplados, ressaltamos os Centros de Atenção Psicossocial II (CAPS II), os CAPS Álcool e Outras Drogas (CAPSad), CAPS Infantil e Adolescente (CAPS IA) e a Unidade de Saúde da Família (USF), portas de entrada do Sistema Único de Saúde e dispositivos integrantes da Rede de Atenção Psicossocial do município de Teixeira de Freitas/BA. Espera-se, com este projeto de Extensão Universitária, ampliar os impactos das práticas interventivas no contexto comunitário na medida em que são reduzidas alguns vetores responsáveis pela vulnerabilização das populações negras e periféricas no cenário de Covid-19, na medida em que fortalecemos o compromisso ético-político da Universidade com a transformação social das desigualdades agudizadas pelos determinantes de raça, classe e gênero, por meio do estímulo à formação acadêmica solidária e implicada com o enfrentamento das injustiças no território.


Campus Jorge Amado

ITABUNA


Saúde em Evidência: InformAÇÃO para o enfrentamento da COVID-19

IHAC-CJA

Coordenadora: Grasiely Faccin Borges - grasiely.borges@gmail.com

Área do CNPq: Ciências da Saúde

Área Principal: Saúde


Diante do atual cenário os aplicativos de comunicação e as redes sociais ganharam espaço como meios de divulgação das informações sobre a pandemia, sobre o novo coronavírus. Entretanto, por meio dessas ferramentas também cresceram a divulgação de notícias falsas, denominadas fake news, que estimulam a população a adotar medidas e atitudes ineficazes como terapias medicamentosas, vacinas que ainda não existem, produção e uso de EPI’s de forma incorreta, dentre outros. Tudo isso confunde a população e prejudica uma tomada de decisão baseada em evidências. O projeto tem como objetivo divulgar evidências científicas produzidas sobre a COVID-19, de forma clara e interativa para a comunidade acadêmica e externa da UFSB, como meio de estimular comportamentos preventivos baseados em informações seguras. O projeto acontecerá em diferentes etapas: a)Serão criadas contas virtuais com o nome do projeto para estabelecer canais de comunicação direta com a população (redes sociais); b) Serão oferecidas informações sobre saúde e a COVID-19 confiáveis e de qualidade ao público; c) Será produzido e divulgado conteúdo interativo sobre saúde e COVID-19; d) Pretende-se pesquisar e divulgar cursos de curta duração, na área da saúde, que desenvolvam ações de enfrentamento a COVID-19; e) Sensibilizar a população para tomada de decisões informadas sobre a COVID-19. Os materiais produzidos respeitarão as normas de divulgação de conteúdos e serão enviados para avaliação pela Assessoria de Comunicação da UFSB. O material do projeto será divulgado e serão atualizados semanalmente. O projeto terá colaboração de estudantes de diferentes campi da UFSB, que participarão de reuniões semanais com a orientadora e colaboradores, para realizarem pesquisas sobre temas e assuntos para o desenvolvimento de atividades e modelos para a produção e divulgação científica. As ações do projeto serão avaliadas pelas interações registradas nas plataformas. Através das contas (redes sociais) de divulgação do conteúdo produzido, serão realizadas análises das interações da página e de cada conteúdo compartilhado, entre elas o número de visualizações, comentários e curtidas. Também serão verificadas as respostas das enquetes propostas nas redes sociais.


Ações Educativas e Profiláticas para o enfrentamento do COVID-19 na região de Ilhéus-Itabuna, Bahia

CFTCI

Coordenador: Emerson Machado de Carvalho - carvalho.em@gmail.com

Área do CNPq: Ciências Sociais Aplicadas

Área Principal: Saúde


O Brasil tem presenciado os impactos de uma pandemia mundial causada por uma nova doença por coronavírus (COVID-19). O enfrentamento do vírus no país se depara com realidades socioeconômicas muito distintas, onde os itens mais básicos de assepsia são escassos. Diante disso, o objetivo para o presente projeto de extensão é promover ações educativas e profiláticas para prevenir o contágio pelo coronavírus COVID-19 em comunidades socialmente vulneráveis na região de Ilhéus-Itabuna, Bahia. Professores e técnicos administrativos do Centro de Formação em Tecnociências e Inovação e Centro de Formação em Ciências Agroflorestais da UFSB - Itabuna se uniram para produzir agentes antissépticos, como álcool em gel 70 INPM, gel antisséptico e sabonete líquido. Junto aos agentes serão adicionados óleo essencial e extrato de pimenta-rosa, com eficácia microstática comprovada. Também será elaborado um material didático impresso para auxiliar as comunidades a adotar boas práticas sanitárias no combate ao COVID-19. A ação extensionista pretende atingir entre 4000 e 6000 pessoas distribuídas em bairros vulneráveis nos municípios de Ilhéus e Itabuna. Juntos poderemos conter os avanços dessa pandemia e sensibilizar as pessoas da real gravidade em que nos encontramos.